Grupo Heineken arremata por R$ 500 mil a Reserva Extrativista Quilombo do Frechal

Grupo Heineken arremata por R$ 500 mil a Reserva Extrativista Quilombo do Frechal

O Grupo Heineken e o Governo Federal assinaram, nesta segunda-feira (5), protocolo de intenções para a adoção da Reserva Extrativista Quilombo do Frechal, no Maranhão, dentro do Programa Adote um Parque.

O atual governo não tem condições ou interesse em cuidar do nosso meio ambiente e de nossas riquezas naturais e com o Programa Adote um Parque está entregando para “adoção” mais de 130 áreas ambientais na Amazônia Legal, uma espécie de “privatização” disfarçada.

No Maranhão, mais uma Unidade de Conservação, a sexta, foi adotada por empresa privada. Desta vez na cidade de Mirinzal. A justificativa é que o dinheiro será usado para a preservação do meio ambiente, combate a incêndios, desmatamentos e também em recuperação de áreas degradadas, reconstrução de cercas, pontes, aquisição de viaturas e infraestrutura em geral.

No entanto, o ministério do Meio Ambiente não deixa claro como as empresas usarão esse espaço. Uma coisa é certa. Grátis não será!

 

 A reserva, localizada no Litoral Ocidental Maranhense, tem área de 9.338 hectares e faz parte da lista escolhida para participar da primeira etapa do programa, instituído em fevereiro.

Segundo o Ministério do Meio Ambiente, o Grupo Heineken destinará o valor de R$ 466,9 mil para a adoção da área ambiental.

Ainda de acordo com o ministro Ricardo Salles a meta é doar a metade das Unidades de Conservação para o capital privado. “Já tem uma lista grande de unidades que também estão sendo analisadas. Se nós chegarmos até o meio do ano com cerca de 50% das Unidades de Conservação, será um grande feito”, afirmou Salles.

Os 132 parques da Amazônia Legal que serão beneficiados nesta primeira fase do programa representam cerca de 15% do território de todo o bioma. O Brasil possui, atualmente, segundo o Ministério do Meio

FONTE: Blog Afagulha